pesquisa geral

Home é executado a tiros em Campo Grande MS

2019-bnn-sara-post

‘Tudo que sou devo a ele’, diz coronel da PM que foi criado por chefe da segurança executado em MS

Vítima estava a caminho do trabalho quando foi perseguido e metralhado por bandidos. Em seguida, eles teriam abandonado e incendiado carro usado no crime.


Por Graziela Rezende, G1 MS

 

Carro da vítima foi metralhado por suspeitos em Campo Grande (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Carro da vítima foi metralhado por suspeitos em Campo Grande (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Aos três anos, quando o pai biológico faleceu, o tenente-coronel Oéliton Figueiredo, atualmente comandante da 5ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar), em Campo Grande, ganhou um pai: Ilson Martins de Figueiredo. A vítima foi executada nesta manhã (11), a caminho do trabalho. “Ele me criou desde muito pequeno. Tudo o que sei devo a ele”, afirmou emocionado ao G1 o coronel.

Conforme Figueiredo, o pai biológico faleceu há muito tempo e, com isso, Ilson assumiu o papel de pai. “São duas irmãs, que casaram com dois irmãos. Meu pai fez a parte dele aqui na terra. Eu me lembro muito pequeno, quando ele começou como soldado. Era um policial muito experiente, por isso aconteceu tudo do jeito que aconteceu. Ele não comentou nada de possíveis ameaças”, disse.

Amigo de longa data, o tenente-coronel Ednilson Queiroz, atualmente chefe de comunicação da Polícia Militar Ambiental (PMA), ressalta o aprendizado que teve com a vítima. “Eu atuei com ele no Grupo de Operações da Fronteira – o GOF, atualmente DOF [Departamento de Operações da Fronteira], em 1987 e 1988, época do Coronel Adib. Eu entrei na corporação aos 19 anos, sabendo muito pouco. Na época, ele já era um sargento experiente e me ensinou muito”, comentou.

Ao saber da notícia, Queiroz conta que foi rapidamente ao local do crime. “Estava tudo isolado, não cheguei perto. Mas, fui com outra policial amiga que trabalhou com ele lá. Estou muito triste, perdi um irmão. Eu o conheço há mais de 30 anos, foi muito bom ter ele por perto, para minha vida e carreira”, ressaltou.

Carro em que estava a vítima ficou com marcas de tiros; polícia no local em MS (Foto: Fabiano Arruda/ TV Morena)

Carro em que estava a vítima ficou com marcas de tiros; polícia no local em MS (Foto: Fabiano Arruda/ TV Morena)

Entenda o caso

O homem seguia pela avenida Guaicurus, Jardim Itamaracá, quando foi perseguido por suspeitos. Ao ser atingido por tiros, ele perdeu o controle da direção, derrubou uma placa de sinalização, parte de um muro e parou.

Conforme o relato das testemunhas à polícia, quando o carro da vítima parou, suspeitos desceram do automóvel onde estavam, foram até o homem e deram mais tiros. Ele morreu na hora. Na porta do veículo ficaram marcas de tiros e no asfalto projéteis.

Outro carro foi encontrado na cidade e pode também ter ligação com execução em MS (Foto: Willer Dias/TV Morena)

Outro carro foi encontrado na cidade e pode também ter ligação com execução em MS (Foto: Willer Dias/TV Morena)

Ilson era chefe de segurança da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Ele tinha 62 anos e deixa 4 filhos, sendo 3 mulheres e um homem, 6 netos e esposa.

A investigação será conduzida pela Delegacia Especializada em Repressão à Homicídios (DEH). No mesmo bairro, a cerca de 2km, a investigação localizou um carro incendiado que teria sido utilizado pelos suspeitos. Mais tarde, no bairro José Abraão, a polícia também encontrou outro carro com as mesmas características.

Picape foi incendiada logo após execução de homem em Campo Grande (Foto: Sérgio Saturnino/TV Morena)

Picape foi incendiada logo após execução de homem em Campo Grande (Foto: Sérgio Saturnino/TV Morena)

Luto oficial

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul lamenta, em nome de todos os deputados estaduais e servidores, a morte do servidor público llson Martins de Figueiredo, 62 anos. Policial Militar da reserva, ele era Gerente da Gerência de Segurança e Polícia Legislativa da Casa de Leis.

A Assembleia Legislativa presta condolências à família e amigos e acredita no trabalho de investigação das forças policiais e na responsabilização dos envolvidos. llson Martins de Figueiredo era casado e deixa três filhos.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Junior Mochi (PMDB), decreta luto oficial de três dias.

Fonte G1-MS

link a baixo

https://g1.globo.com/ms/mato-grosso-do-sul/noticia/tudo-que-sou-devo-a-ele-diz-coronel-da-pm-que-foi-criado-por-chefe-da-seguranca-executado-em-ms.ghtml
Faça o seu Comentário ( facebook)

Sobre o autor

BR-MS

Blogueiro, Arte Finalista, Programador de sites wordpress e colunista de assuntos gerais do site Brasilms.com

posts relacionados

2019-bnn-sara-post